Relacionamento

14 de Janeiro de 2019

BEM CASADOS, CASADOS PARA SEMPRE!


BEM CASADOS, CASADOS PARA SEMPRE!


Chegou o grande dia do sim! Tudo a postos! Uma alegria imensurável toma conta dos noivos! 'Foram dias de muita expectativa e agora vamos nos casar'. Estas são realidades que fazem parte da caminhada dos noivos até o altar, mas que, no caminho da vida a dois deixa de existir com a chegada de situações que, em grande parte não são agendadas pelo casal.

Questões como: uma comunicação codificada, a não conjugação do verbo perdoar, falta de parceria e planejamento econômico, tolerância e paciência diante de erros que são inevitáveis na condição de humanos que somos, entre outros, podem comprometer a parceria conjugal, abalando-a, fragilizando seus fundamentos, levando assim, muitos casamentos ao fim. Contudo, é possível construirmos e superarmos, em meio aos fatores descritos, condições favoráveis e sermos bem casados, casados para sempre.

Quero partilhar de dois princípios que podem ajudar na parceria conjugal para que a mesma seja fortalecida em sua caminhada histórica:

  • Eliminem a competição e vivam em plena cooperação –Cooperação é uma disposição, um comportamento psíquico que valoriza o outro enquanto parceiro no caminho, dando devida atenção para que os planos em comum sejam estabelecidos. Assim, quando um casal decide pela cooperação, a força da competição deixa de existir; seu gerenciamento na relação perde sua consistência. Nesta condição, os planos são estabelecidos, o fardo tão comum na vida a dois fica mais leve, possível de carregar, proporcionando consciência e percepção do seu real valor. Cooperar é dar ao outro a possibilidade de uma caminhada vitoriosa na relação conjugal.
  • Entendam que as diferenças na relação conjugal podem ser complementares – É muito comum ouvir em aconselhamento conjugal que a diferença entre eles os "distanciam". "Nosso relacionamento está acabando porque ele(a) não combina comigo". Considerando que somos únicos enquanto indivíduos, precisamos transformar as diferenças, tão comuns pela nossa condição, em uma aliada, para que a relação conjugal seja uma cumplicidade. Ao contrário, as diferenças na relação conjugal podem possibilitar ver, de fato, quem é o outro enquanto potencial em sua singularidade e de que forma eu posso contribuir para o seu crescimento e consequentemente o bem-estar no casamento. Ser diferente nem sempre é estar errado, é apenas ser diferente. Quando percebo esta verdade, a diferença torna-se fonte de complemento.

Acredito no casamento! Mas entendo que para se ter uma relação conjugal saudável, é preciso construir um espaço satisfatório que conspire a favor dos cônjuges. Assim sendo, prevalecerá a máxima: BEM CASADOS, CASADOS PARA SEMPRE!

* Bartolomeu Patrício é Psicólogo Clínico, Terapeuta Familiar e Teólogo,casado há 17 anos com Mariá Pithon, pai de Clara (16) e Pedro (11)


Publicado por
em 14 de Janeiro de 2019

NOSSO APLICATIVO JÁ ESTÁ
QUASE PRONTO, FIQUE LIGADO!

Baixe e ganhe brindes, descontos e muito mais!